Sílvia Martins

Licenciada em Engenharia Biológica, iniciou a sua jornada pelo mundo das plantas com o seu procjeto de doutoramento na área de Ciências Agrárias e Florestais. Acredita ter aprendido, nas suas andanças pelo México e Brasil durante dois anos, o que por vezes não vem nos livros. Aliar o conhecimento livresco com os ensinamentos populares e indígenas abriu-lhe ainda mais os horizontes para o potencial terapêutico das plantas medicinais.

Os cursos Massagem Ayurvédica Terapêutica e de Shirodhara, que tirou com David Ferreira, cativaram-na pela beleza e valor da Medicina Ayurveda que, entre outras vertentes, une a eficácia das suas terapias ao poder das plantas.

Advertisements

Gilberto Soares

Instrutor e praticante de Hatha Yoga e Svatantrya Yoga, Mestre em Reiki Essencial e também terapeuta em várias técnicas de massagem, nomeadamente Ayurvédicas, Tailandesa, Geotermal e Aromaterapia. Mantém especial interesse pela Medicina Ayurvédica inserindo-a na sua vida familiar há algum tempo. Com uma licenciatura em Engenharia Civil, o Gilberto é o “mãozinhas” da nossa equipa, concebendo e construindo connosco equipamentos terapêuticos ayurvédicos de alta qualidade e funcionalidade.

Aniza Figueiroa

With courses in massage and several Ayurvedic therapies, Aniza combines practice and a strong intuiton. Has just recently come back from India, where she deepened her Ayurvedic knowledge and practice. Being a natural born herbalist, with a few successful years of practice, she is a vital member of our team.

Kindala Rocha

Thai Yoga massage practitioner and teacher, Kindala trained in Chiang Mai – Thailand. She’s been studying with her companion, David Ferreira, and assisting him in the Ayurvedic course he’s been teaching for over ten years.

Praticante e formadora de massagem Thai Yoga, com formação em Chiang Mai – Tailândia, tem vindo a estudar com o seu companheiro, David Ferreira, e a assisti-lo nas formações relacionadas com Ayurveda que facilita há mais de 10 anos. Presently she is broadening her horizons to other therapies within the system of Thai Traditional Medicine.

David Ferreira

The founder of this project, David came back from Japan three years ago, where he lived for three and a half years, studying Japanese therapies of Vedic origin. He took several Ayurvedic courses in India (for over two years) and Portugal, such as Ayurvedic Therapies, Pancha Karma, massage, etc. He studied Thai massage in Thailand and began his studies in Mayan medicine, which has similar principles as Ayurveda, in Mexico. These days he works as an Ayurvedic therapist, teaching 18 courses and workshops on the subject and organizing Ayurvedic-based therapeutic programs for several renowned institutions. He also created http://www.centrodeayurveda.com which specialises in creating ayurvedic spaces.

Many of his courses are innovative and completely new in Portugal, such as the Shirodhara, Pinda Swedana, Chavuti Thirumal, Kalari Marma Massage, Marmatherapy, Ayurvedic Beauty, Herbal Pharmacy, Diagnosis Techniques and Anamnesis, Vastis – Oil Retention Therapies, Spanish and English for traditional medicine practicioners.

Plantas Afrodisíacas

Podem ser utilizadas para melhorar a vitalidade sexual ou dirigir internamente a energia sexual com o objectivo de regeneracção. A maioria destas plantas não é afrodisíaca simplesmente porque estimula a actividade sexual por irritação dos órgãos sexuais. Muitas são tónicas porque de facto criam e dão alimento directamente aos tecidos reprodutivos. Outras ajudam a promover a transformação criativa de energia sexual para o benefício do corpo-mente.

Começando no sistema reprodutivo, estas plantas revigoram o sistema inteiro, da mesma maneira que uma árvore é revigorada a partir das raízes. Elas têm uma acção revitalizante e forte no sistema nervoso e na medula óssea e aumentam a energia da mente.

Afrodisíacas típicas: açafrão, alho, angelica, asafetida, espargos, cebola (crua), cravo-da-Índia, feno-grego, ginseng, hibisco, inhame selvagem, rehmannia, rosa, saw palmetto, sementes de lótus.

Plantas Tónicas Rejuvenescedoras

A fitoterapia ayurvévida alcança seu clímax na ciência do rejuvenescimento. Visando a renovação do corpo e da mente, a Ayurveda não busca simplesmente a longevidade, mas uma vida de pura consciência e criatividade natural.

Esta abordagem não visa somente a imortalidade física (na qual algum nível de harmonia pode ser possível), mas a imortalidade da mente, a renovação diária das células do cérebro proporcionando uma mente e um coração tão claros na velhice como na infância.

Reconstroem o corpo-mente, previnem a decadência e retardam o envelhecimento. Podem ajudar até mesmo a inverter o processo de envelhecimento. Não agem aumentando a quantidade de células (aumentando o tamanho do corpo), mas aumentam a qualidade das substâncias.

Exemplos:

Para vata: cálamo, alho, ginseng.

Para pitta: aloé vera, consolda-maior, açafrão.

Para kapha: énula-campana.

Outras rejuvenescedoras: alcaçuz, alteia, angelica, cebola, inhame selvagem, mirra, rehmannia, saw palmetto, sementes de sésamo.

Plantas Tónicas Nutritivas

São plantas que promovem o gerar de tecidos (dhatus) do corpo, nutrem e promovem o aumento de peso. São úteis para vários órgãos que foram debilitados devido a doença.

As plantas tónicas nutritivas são normalmente pesadas e oleosas; elas aumentam os fluidos vitais, músculos e gordura, constroem o sangue e a linfa e aumentam a produção de leite e sémen. São reconstituintes para condições de fraqueza, emaciação, debilidade e convalescença. Devido à sua propriedade húmida, têm um efeito calmante e harmonizante que dispersa a rigidez e pacifica os nervos.

Alguns exemplos: açúcar, alcaçuz, alteia, amêndoa, angelica, côco, ginseng, inhame selvagem, leite, mel, passas, raiz de consolda-maior, rehmannia, saw palmetto, sementes de linhaça, sementes de lótus, sementes de sésamo, ulmeiro.

Plantas Estimulantes e Digestivas

Plantas que estimulam, aumentam ou promovem todas as funções orgânicas.

Estas plantas têm esta propriedade principalmente porque estimulam o poder de digestão. Têm basicamente energia quente, sabor picante, e incluem a maioria dos temperos quentes, pimentas e gengibres. Modo de acção: aumentam o calor interno, dispersam o frio interno e fortalecem o metabolismo e a circulação.

São as plantas mais poderosas para aumentar Agni, o fogo digestivo, e as mais fortes para destruir Ama, a acumulação de toxinas. Aquecem o estômago e o sangue, aumentam o apetite e estimulam os sentidos. Têm frequentemente poder antibacteriano ou antiparasítico e fortalecem o sistema auto-imune. Não constroem o corpo de facto, mas permitem uma melhor assimilação de alimentos, viabilizado a construção do corpo. São frequentemente usadas com plantas tónicas e nutritivas, mas também com a alimentação.

Contra-indicações: em condições de desidratação, insuficiência de líquidos e inflamações das membranas mucosas.

Plantas estimulantes típicas: alecrim, alfazema, alho, anis, árvore-de-chá, asafetida, pimenta caiena, calendula, canela, cardamomo, cebola, coentro, cominho, cravo-da-índia, dente-de-leão, eucalipto, funcho, galangal, gengibre (seco), ginko biloba, ginseng, hortelã-pimenta, mostarda, noz-moscada, orégão, pau-d’Arco, pimenta preta, pimenta-do-reino, poejo, raiz-forte, salvia, tamarindo.


Plantas Nervinas e Antiespasmódicas

Plantas que fortalecem a actividade funcional do sistema nervoso.

As plantas nervinas podem ser estimulantes ou sedativas e podem ser usadas para corrigir excessos ou deficiências da função nervosa. Elas têm uma acção forte na mente e são úteis na promoção da clareza e da saúde mental, como também ajudam no tratamento de desequilíbrios psicológicos e doenças mentais.

A maioria das nervinas também é antiespasmódica; aliviam espasmos de órgãos e músculos, aliviam cãimbras, tremores e convulsões. Também podem servir como broncodilatadores, porque interrompem os espasmos nos tubos bronquiais, provando serem efectivas nos problemas respiratórios. Outras podem ajudar a aliviar cólicas menstruais e dores de cabeça.

Muitas destas plantas nervinas são fragrantes e aromáticas, como a hortelã ou a valeriana. Isto é porque as plantas aromáticas trabalham directamente sobre o prana, a energia principal do sistema nervoso. Elas abrem a mente, aclaram os canais (srotas), aliviam a congestão, páram a dor e restabelecem o fluxo de energia entre o sistema corpo-mente.

As plantas nervinas podem ser divididas em amornantes e refrescantes. As refrescantes são geralmente melhores para pitta, como a camomila, hortelã, inhame selvagem, jasmim, maracujá, sândalo; as plantas amornantes para vata e kapha, como o alho, asafetida, cálamo, cânfora, eucalipto, manjericão, mirra, noz-moscada, salvia, sementes de papoila, valeriana.

Outras nervinas usadas são: alecrim, alfazema, black cohosh, blue cohosh, centella asiatica, datura, ghee, ginseng, hortelã-pimenta, lima, lúcia-lima, passiflora.

As plantas anti-espasmódicas podem prevenir espasmos ou ajudar quando eles aparecem, bem como câimbras no corpo: alfazema, alho, anis, black cohosh, calendula, camomila, cânfora, citronella, datura, eucalipto, funcho, ginko biloba, hibisco, hipericão, lúcia-lima, orégão, passiflora, tomilho, valeriana.

As plantas sedativas acalmam o sistema nervoso e reduzem o stress e nervosismo no corpo, afectando os tecidos do corpo que estão envolvidos ou se encontram irritados. Algumas desta plantas são: alcaçuz, arnica, ashwagandha, black cohosh, blue cohosh, boldo, camomila, datura, hipericão, noz-moscada, papoila, passiflora, valeriana.

« Older entries